quarta-feira, 31 de julho de 2013

APENAS UMA PALINHA

O cantor Gustavo Anthony, que vai se apresentar EMBELISARIO nessa sexta e no sábado, deu uma "palinha" agora à noite, no SKINA DO PEIXE.
Tony, de Rosário da Limeira entrou no clima com ele.
Rynara e Jackson pensando que estavam cobrando ingresso.
As duas noites prometem.

DIVULGADOS OS IDHs DO BRASIL

Guia Muriaé, com informações da Agência Brasil, trouxe informações sobre os Índices de Desenvolvimento Humanos do Brasil. Veja a matéria:
O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) divulgou na segunda-feira (29) os dados do Atlas Brasil 2013, que apresenta o Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) de 5.565 municípios brasileiros. O índice considera que apenas o crescimento econômico não é suficiente para medir o desenvolvimento de uma cidade: o IDHM é constituído da avaliação de critérios relacionados à saúde, educação e renda.
Em termos numéricos o índice é calculado de zero a um – 0 significa nenhum desenvolvimento humano, e 1, desenvolvimento humano total. Quanto mais próximo de 1, mais desenvolvido é o município.
A cidade de Muriaé esta em 72º lugar no Estado de Minas Gerais, com 0,734, atrás de cidades da região como Cataguases (39ª posição, com 0,751) e Viçosa (11ª posição, com 0,775).
Outras cidades da região que aparecem com IDH de alta desenvolvimento são: Leopoldina (102ª posição, com 0,726); Ubá (114ª posição, com 0,724); Laranjal (154ª posição, com 0,714).
Já cidades como Carangola (259ª posição, com 0,695), Santana de Cataguases (268ª posição, com 0,694), Recreio (280ª posição, com 0,692), Manhuaçu (296ª posição, com 0,689), Itamarati de Minas (302ª posição, com 0,688), Faria Lemos (309ª posição, com 0,687), Antônio Prado de Minas (324ª posição, com 0,684), Patrocínio do Muriaé (344ª posição, com 0,682), Miraí (357ª posição, com 0,680) e Eugenópolis (388ª posição, com 0,675) aparecem na lista na faixa de médio desenvolvimento.
Minas Gerais é o nono estado brasileiro na lista do Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) no país, divulgada nesta segunda-feira (29), com 0,731. Valores entre 0,700 e 0,799 são considerados altos. E o registrado em Minas está acima do índice geral do Brasil: 0,727. No Estado, as cidades de Nova Lima, Belo Horizonte e Uberlândia são as cidades com maior IDHM, respectivamente. Mais de 220 municípios mineiros atingiram alto desenvolvimento.
Os indicadores de 2013 reafirmam as desigualdades entre as cidades brasileiras. O IDHM do município com melhor resultado, São Caetano do Sul (SP), é quase o dobro de Melgaço (PA), considerado o pior. O estudo também aponta as desigualdades entre as regiões. Os vinte municípios com pior IDHM estão nas regiões Norte e Nordeste. Já na lista dos vinte melhores, além da capital Brasília, todos os outros são municípios do Sul e Sudeste. Destes cinco são capitais: Florianópolis, Vitória, Brasília, Curitiba, Belo Horizonte.

VEJA COMO SE CALCULA O IDH:
O Índice IDH mede o nível de desenvolvimento humano dos países utilizando como critérios indicadores de educação (alfabetização e taxa de matrícula), longevidade (esperança de vida ao nascer) e renda (PIB per capita).
Países com IDH até 0,499 têm desenvolvimento humano considerado baixo, os países com índices entre 0,500 e 0,799 são considerados de médio desenvolvimento humano e países com IDH superior a 0,800 têm desenvolvimento humano considerado alto.
Para a avaliação da dimensão educação, o cálculo do IDH municipal considera dois indicadores com pesos diferentes. A taxa de alfabetização de pessoas acima de 15 anos de idade tem peso dois, e a taxa bruta de freqüência à escola peso um. O primeiro indicador é o percentual de pessoas com mais de 15 anos capaz de ler e escrever um bilhete simples, considerados adultos alfabetizados. O calendário do Ministério da Educação indica que, se a criança não se atrasar na escola, ela completará esse ciclo aos 14 anos de idade, daí a medição do analfabetismo se dar a partir dos 15 anos.
O segundo indicador é resultado de uma conta simples: o somatório de pessoas, independentemente da idade, que freqüentam os cursos fundamental, secundário e superior é dividido pela população na faixa etária de 7 a 22 anos da localidade. Estão também incluídos na conta os alunos de cursos supletivos de primeiro e de segundo graus, de classes de aceleração e de pós-graduação universitária. Apenas classes especiais de alfabetização são descartadas para efeito do cálculo.
Para a avaliação da dimensão longevidade, o IDH municipal considera o mesmo indicador do IDH de países: a esperança de vida ao nascer. Esse indicador mostra o número médio de anos que uma pessoa nascida naquela localidade no ano de referência (no caso, 2000) deve viver. O indicador de longevidade sintetiza as condições de saúde e salubridade do local, uma vez que quanto mais mortes houver nas faixas etárias mais precoces, menor será a expectativa de vida.

Para a avaliação da dimensão renda, o critério usado é a renda municipal per capita, ou seja, a renda média de cada residente no município. Para se chegar a esse valor soma-se a renda de todos os residentes e divide-se o resultado pelo número de pessoas que moram no município (inclusive crianças ou pessoas com renda igual a zero).

ESQUENTA FABEL!!!

A FABEL começa na sexta, mas para elevar a temperatura, que caiu legal nessa noite aqui EMBELISARIO, uma programação musical de alto nível foi programada para essa sexta e sábado. Duas noites que servirão para o ESQUENTA FABEL!


Muita gente quis conhecer o ônibus. Realmente é muito confortável.
Uma reuniãozinha para organizar o evento...
Olha o artista aí!
O seu pai, que o acompanha e o empresaria, está fazendo contatos com os comerciantes locais para pedir apoio no patrocínio. A Lanchonete Fim da Tarde está dando um apoio especial ao evento. Fernando quer ver todo mundo consumindo com ele. É isso aí! Quem apoia deve ter preferência da clientela.
Gustavo Anthony, 18 anos, tem a sua base na cidade de Guarani e começou a sua carreira artística com 14 anos, com a dupla Carlos e Gustavo. Cantou com artista como Jean e Giovani e o cantor Daniel, que aparece na foto abaixo.

Apresentou-se nos últimos dias em Canaã, São Geraldo e Rosário da Limeira. Agora chegou a vez de Belisário.
Você não vai perder, vai?

terça-feira, 30 de julho de 2013

segunda-feira, 29 de julho de 2013

FALANDO NA FABEL

Aconteceu hoje no GAB uma reunião com alguns artesãos de Belisário. As primeiras a chegar foram as mais famosas doceiras da região. Toninha (esq) e D. Josina.
Helena (esq) e Mônica vieram representando a Secretaria de Turismo, que está responsável pela montagem do pavilhão de artesanatos na 13ª Feira da Amizade de Belisário - FABEL, que acontecerá dias 9, 10 e 11 de agosto.
Vicente, na ponta, produz pinga, Luciene pintura em tela...
Vanilda, na cabeceira, é crocheteira.
Landis, da camisa azul,  faz maquetes, geralmente reproduzindo a zona rural.

José Antônio, na cabeceira, é diretor da Escola  Estadual Pedro Vicente de Freitas, que também apoia o evento.
Ficou acertado entre os presentes:
  • O pavilhão somente funcionará no sábado e no domingo.
  • Sábado será aberto às 19 horas, devendo os expositores estarem lá 1 hora antes. O encerramento será às 24 horas, quando o material deverá ser recolhido e guardado na Escola Estadual
  • Domingo ficará aberto das 13 às 17 horas.
  • O pavilhão ficará na área externa da Escola Estadual, ao lado do público.
  • Os expositores poderão fazer escala no pavilhão, desde que um se responsabilize pelos produtos do outro.
  • A Secretaria de Turismo poderá convidar outros expositores de Muriaé.

CADÊ O MOSQUITO?

A Vigilância Sanitária Municipal continua procurando o aedes aegypti em Belisário, e nada dele.  Terra boa não tem coisa ruim. A dengue tem barbarizado as áreas de saúde do país, mas não houve  nenhuma ocorrência aqui no distrito até a presente data. 
Luiz Carlos fez um bom trabalho de pesquisa da larva, mas certamente não vai achar nada que nos comprometa.
O ponto mais vulberável é esse: as bromélias. Em outras partes a gente procura controlar a água armazenada. Ai não tem jeito. Ele até achou uma larva de mosquito nessa coleta. Esperamos que não seja o amaldiçoado.
O importante é todo mundo ficar de olho.

domingo, 28 de julho de 2013

FOCANDO NOVIDADES NA ZONA RURAL

O domingo estava muito bonito, a família já havia retornado, cada uma para a sua casa. Fomos levar D. Nina para umas fotos que ela precisava, para o seu livro narrando a história de Belisário. Ela pretendia fotografar algumas famílias e algumas casas da zona rural.
A direção foi o " Córrego dos Gomes", que fica no caminho de Miradouro, porém bem pertinho de Belisário. O primeiro destino era uma entrevista com o Sr. José Maria Gomes. Ele teve, no passado,  uma grande participação no Conselho de Desenvolvimento de Belisário e é uma liderança na Igreja Católica local. O filho também é José Maria, a esposa, D. Sebastiana e a filha que também aparece na foto é Andrea. 
Estava acontecendo um churrasco, em comemoração aos batizados de Grace Ellen e Iuri Gabriel. 
As crianças são filhos de vizinhos e os donos da casa foram os padrinhos.
Olha os bebês aí! Fiquei orgulhoso quando Andrea  Gomes me falou que acompanha o nosso blog.  É  muito legal a  gente saber com quem está falando. 
Mas D. Nina está com pressa. Vamos em frente!

Outra casa a visitar era a de "Toninho do Barracão". Gente muito fina, que tem grande participação nas cavalgadas de Belisário. A esposa Francisca e o filho Eduardo também nos receberam
Qual o motivo desses bezerros? Apenas um novidade: são gêmeos e isso não é muito comum nos partos de vacas. Pelo menos foi o primeiro caso na propriedade de Toninho nesse 30 anos.
Toninho é amante de cavalos Manga Larga. Olha que beleza de animal!
Esses dois são  de Paulo da Neura (BH).
 
E as visitas continuam. Tomamos a direção dos Calais. José Calais não estava em casa, mas fotografamos a sua propriedade assim mesmo. Ele cultiva café classificado

Tudo com técnica.
E fizemos mais uma visita muito agradável, na casa do Sr. Cristóvão e D. Josina, e também do filho Ivan, que aparece na foto ao lado do pai.
Quando chegamos ele estava na estufa preparando polvilho para fazer biscoitos.
A gente fala tanto em biscoito de araruta e eu nem sabia o que era isso. Olha ai a tal raiz e veja o que o Wikipédia fala sobre ela:
A araruta é uma planta originária das regiões tropicais da América do Sul. Estudos arqueológicos mostram evidências do cultivo de araruta nas Américas há, pelo menos, 7 000 anos.
Segundo a sabedoria popular, a araruta tem vários usos medicinais , mas é na culinária que o uso desta planta se destaca, recomendada para pessoas com restrições alimentares ao glúten. Considerada como um alimento de fácil digestão, a fécula da araruta é usada no preparo de mingau, bolos e biscoitos. Por esta característica, é indicada para idosos, crianças pequenas e pessoas com debilidade física ou doentes em recuperação. Também pode se produzir papel com a araruta.
Encontra-se em processo de extinção devido ao fato de a indústria alimentícia ter substituído o polvilho de araruta pelo de mandioca ou pela farinha de trigo ou milho,  prejudicando, assim, o cultivo daquela planta. 

Olha que engenho da cana antigo! é puxado por animal e produz garapa...
... para fazer rapadura nesses grandes tachos.
A família também é produtora de café.
Mas eles são conhecidos mesmo pelos doces especiais que produzem, além da rapadura, broinhas na palha de bananeira, biscoitos... Têm um bom mercado em Muriaé e Belisário. É uma família de fibra.
D. Josina, a doceira e a filha, professora Irani, que leciona em Rosário da Limeira. Também fiquei envaidecido quando Irani me revelou que acompanha o EMBELISARIO. Já estou começando a achar que todo mundo acompanha esse bloguinho safado.
São contatos muito ricos esses com pessoas da zona rural. Gente simples, de muita fibra e dignidade.