sábado, 17 de fevereiro de 2018

ESCOLA ESTADUAL PEDRO VICENTE SE PREPARANDO PARA O RETORNO ÀS AULAS

As dependências receberam uma boa transformação. Paredes e portas  foram pintadas ...

Os jardins sempre foram mantidos bonitos. O diretor José Antônio é muito caprichoso e fez isso com os recursos que tem. Os próprios servidores deram a sua mão de obra pra isso.

Uma passada pela secretaria...
Mas o dia de ontem, sexta, foi reservado para conversas e capacitação do Corpo Docente.  Aqui Marina, do OSCIP IRACAMBI está oferecendo a entidade para parcerias na área de preservação da natureza.
Eles já vêm fazendo isso há alguns anos, em parceria com a Escola.
Pela manhã, um bom público.
Viemos como diretoria do GAB para apresentar o Projeto Xadrez. José Maria doou para nós um xadrez gigante, de 4 x 4 metros. Em breve, vamos começar aulas desse jogo  sob a sua coordenação. Como ele disse, praticar  xadrez é praticar a "academia" para o cérebro. É um belo exercício.
As expectativas para o novo ano letivo estão expressas na flâmula.
Ele lembra que os alunos têm essa visão de sua vida hoje. Belisário, UBS, EEPVF... mas afastando a imagem com o mouse ele vai mostrando a região, as cidades, os estados, o Brasil, as Américas e o mundo. Eles precisam ser desafiados para expandir os seus limites e a educação deve fazer isso.
Numa sala a professora Irani mostrava a um grupo de professores formas motivantes de se trabalhar com a matemática junto aos alunos. Ela é professora da escola municipal em Rosário da Limeira, já tendo se aposentado do Estado. Pretende se dedicar a consultorias junto a prefeituras, para dividir a sua experiência nessa área com colegas de trabalho.
Um outra coisa riquíssima acontecia, promovida pelo SENAR-Serviço Nacional de Aprendizagem Rural.  Camila Resende, mobilizadora do núcleo Muriaé nos informou tratar-se do programa ESPORTE NA ESCOLA, que aplica jogos pedagógicos que envolvem as diversas disciplinas.
Pela manhã, o tema foi passado para os professores, pelo instrutor Luiz Roberto Menezes Pinto. O cara é entusiasmado e entusiasmante.  Tem sangue nos olhos se o assunto é educação.
Vamos falar mais sobre ele, mas adianto que é funcionário da Rede Globo desde 1999, onde monta tarefas para o BBB, para o Caldeirão do Huck... Também leciona em escola particular e é instrutor do SENAR.
No momento em que eu estava, ele falava dos graves riscos decorrentes do mau uso das redes sociais.
Viemos em casa e deixamos as coisas acontecendo por lá. Peguei essa cena e quero compartilhar. São netas do Manoel, da família do Nelcídio, fazendo um tour por Beli 

Estão aguardando o almoço.
Aproveitei para catar Luiz Roberto para um giro pela região.
A Cachoeira do Nahor o deslumbrou. 
Tá mandando um selfie para a esposa para animá-la a vir aqui um dia com ele.
Ele está se preparando para a aposentadoria e eu fico lhe mostrando as vantagens de se optar por uma vidinha no interior. Tudo isso foi trazido pelo primo Marcus Campos.
Vai dar muito doce. Na verdade já deu. Enquanto posto Mirian me mostra os potes prontos.
A rua e meu quintal estão lotados de mangas podres, por falta de interessados.

Com manga Ubá disponível, as outras sobram.
E voltamos com o instrutor para a Escola. Junto com o diretor recrutamos crianças para participarem da aula prática.
O grupo do Balé na Serra foi convocado pelo zap.
Gabriel vai surpreender com a sua participação.

Exceto Luan, todas são do balé.
Foram divididos em duas equipes.
E o SENAR oferece coletes. No final, estes e mais vários outros foram doados para a escola, para uso quando da aplicação do projeto.
Olha que show!
O " jogo da velha" foi muito disputado. Por enquanto, na forma tradicional. Cada um marca "O" ou "X" e entrega o pincel para o colega de equipe.
A partir daí, vale a criatividade do professor. Uma equipe marca somente usando números pares e a outra ímpares. Poderia ser somente capitais e a outra estados. Use a disciplina que quiser.
Agora vogais e a outra, consoantes.
E agora "jogo da velha"  em 3 dimensões.
O aluno deve imaginar as 3 folhas serem sobrepostas e formarem a sequência pretendida.
Também jogaram fazendo cálculos matemáticos, respondendo questões de geografia, história...
E no final um bombom para cada participante. As crianças vibraram com os jogos.
Gabriel surpreendeu pela sua astúcia nas respostas.
Lamentando muito a forte ausência de professores nesse segundo turno do curso, Luiz Roberto trouxe palavras extremamente desafiantes para esses seis professores.
Eles foram chamados para uma meditação em relação ao fato de ser o professor o depositário de um bem de grande valor, oferecido pelos pais, no início do ano letivo, que são os seu filhos.
Esse bem deve ser tratado com muita responsabilidade e carinho. 
Como perdeu a carona que lhe foi prometida, fiz questão de levá-lo em Muriaé, onde ministrará mais curso nesse sábado.
No caminho pudemos conhecer melhor Luiz, uma pessoa muito especial, nascido numa comunidade da Mangueira-RJ, que lutou bravamente para vencer, como jogador de futebol do Vasco, depois Uberlândia, onde começou a estudar Educação Física, mas se sentiu desanimado pelos próprios professores, já que nem eles mesmo acreditavam na profissão que abraçaram.
Foi ser porteiro do Canecão, no Rio, onde foi admitido na expectativa de ser um artista. Sem se frustrar abraçou a função até que foi chamado por Marlene Matos para ser animador do programa da Xuxa, que estava sendo lançado na Globo.
Teve reveses na vida com a perda de uma filha, por erro médico, jogou-se nas drogas, recebeu apoio de Xuxa e recuperou-se. Teve mais perdas dolorosas, mas sempre deu a volta por cima. Todas os baques parece que o motivaram ainda mais a se dedicar com mais força à educação.